O Evangelho e a Porca

O Evangelho e a PorcaA Bíblia registra um fato interessante quanto a porca que volta para a lama (2 Pe 2.22). Sem necessidade de aprofundar no contexto bíblico, é sabido que há circunstâncias que levam pessoas a retroagirem em suas caminhadas. Fato que tem assustado, pois a expressão: “evangélico não praticante” começa a ser ouvida.

Por que isso acontece?

  1. O evangelho se tornou entretenimento. Os cultos devem ser agradáveis, animados e se possível com luzes, música da melhor qualidade e danças. Só que a televisão faz melhor que nós. Ela tem dinheiro e patrocínio para fazer isso. E detalhe, com muito mais eficiência.
  2. Os cultos que oferecem vitórias e favores especiais ditos da parte de Deus existem para dar ao cliente aquilo que necessita. O foco passa a ser a pessoa o indivíduo, assim não temos um culto teocêntrico (Deus no centro) e sim o homem no centro (antropocêntrico).
  3. Inúmeros escândalos acumulados envolvendo evangélicos, e muitos com líderes.

Esse evangelho transforma?

Não transforma. E sem transformação não há evangelho. A porca ela não pode ser educada, lavada e perfumada.  É necessário nascer outra vez (Jo 3.7). Só assim haverá transformação. Estamos cercados de encontros, cursos e palestras que não trazem resultado nenhum, por quê? Respondo, porque não há novo nascimento, não são novas criaturas. São educadas, convencidas e até lavadas e perfumadas. Porém, o verdadeiro evangelho transforma a essência.

 

Pense nisso!

William Miranda, Pr.

 

“O verdadeiro evangelho transforma a essência.”

Deixe uma resposta